Subscribe for notification
Categorias: Internacional

Zidane, suas 6 opções para a próxima temporada

Zinedine Zidane, que anunciou sua saída do Real Madrid no final da semana passada, espera se recuperar na próxima temporada. Mas não existem muitos caminhos para o técnico francês.

A tradicional valsa do treinador de verão começou e Zinedine Zidane já entrou na arena. Depois de uma temporada de branco no banco de Real Madrid, um ano difícil no terreno como bastidores de um “Zizou” que lamentava publicamente a falta de apoio dos seus dirigentes, o técnico francês decidiu fugir da capital espanhola. Um começo surpreendente que foi acompanhado por outro anúncio importante: Ao contrário de sua despedida anterior em 2018, quando expressou sua necessidade de fazer uma pausa, o campeão mundial de 1998 quer se recuperar em outro lugar, a partir do próximo ano letivo. Resta saber onde.

Leia também: Zidane, um divórcio que dá errado

A priori, as opções não devem faltar a um treinador da sua categoria, que já conquistou onze troféus com a Casa Branca, incluindo duas Ligas (2017, 2020) e três Campeonatos consecutivos (2016, 2017, 2018). Mas os bancos livres, em todo caso os que o receberão, não são tão numerosos.

O problema de Zinedine Zidane, por assim dizer, é que ele começou sua carreira em um dos melhores clubes do mundo e já conquistou quase tudo por lá. Que evolução ele pode esperar? Ele está pronto para entrar em um clube menor e aceitar um desafio menos ambicioso? As respostas a essas perguntas dependerão de seu futuro.

▪ Na La Liga, está morto!

Depois de ter dirigido o Real Madrid por mais de quatro anos, “ZZ” tem apenas uma chance muito pequena de assumir as rédeas de outro cador da Liga. No curto prazo, é até zero. Ronald Koeman pode estar enfraquecido no FC Barcelona, ​​parece impensável ver o presidente catalão Joan Laporta fazer um telefonema para aquele que melhor representa a instituição do rival Madrid. Impossível também encontrá-lo no inimigo doAtletico Madrid, acaba de se sagrar campeão da Espanha e onde Diego Simeone está prestes a se estender. Não, se Zinedine Zidane um dia retomar o serviço nos Pirenéus, será no Real Madrid e em mais lado nenhum.

▪ Na Ligue 1, três pistas possíveis

É na França que Zinedine Zidane teria mais opções. Então seu nome já começou a circular no PSG, onde Mauricio Pochettino, no cargo há menos de seis meses, já teria desejos em outro lugar. Um ano antes da Copa do Mundo de 2022 no Catar, o Paris Saint-Germain desferiria um grande golpe. NO Pouco

, onde o posto estava vago desde a saída de Christophe Galtier, “Zizou” encontraria uma equipe menos exposta, mas ambiciosa, com o título de campeão da França e qualificado para a Liga dos Campeões. A última pista possível poderia levá-lo a Bordeaux, um clube que lhe é caro e onde há de tudo para reconstruir. Muito arriscado ?

Leia também: Zidane no PSG, o duplo trovão?

▪ Em outros lugares da Europa, poucos bancos disponíveis

A Bundesliga, Zinedine Zidane pode esquecer! Apenas o Bayern de Munique poderia ter representado uma evolução para o ex-craque do Blues, mas o gigante bávaro já garantiu a sucessão de Hans-Dieter Flick, substituído por Julian Nagelsmann. Na Série A, tudo o predestinou a encontrar o Juventus Torino, onde evoluiu como jogador. Mas, também aí, a porta está fechada, a velha optou por Massimiliano Allegri em substituição de Andrea Pirlo. No Inter de Milão, porém, a vaga é de graça! Antonio Conte fez as malas com o título da liga no bolso. Será que os líderes nerazzurri se atrevem a procurar um bianconero com carimbo de treinador? Improvável…

A situação é a mesma na Premier League, onde poucas mudanças de treinadores são esperadas dentro dos “Big Six” (Manchester City, Manchester United, Chelsea, Liverpool, Tottenham, Arsenal), exceto no Spurs, onde um treinador é procurado após a demissão de José Mourinho em meados de abril. O clube londrino teria entrevistado seu ex-técnico Mauricio Pochettino, mas o Daily Telegraph indica que seu presidente Daniel Levy poderia considerar chamar “ZZ”.

Este último ainda deve estar tentado a reunir a Inglaterra, onde não tem nenhum apego particular.

▪ A seleção francesa desde o início do ano letivo?

O último cenário possível o enviaria para o chefe doTime francês. Uma evolução natural para um “Zizou” que, depois de ter treinado um cador europeu, entraria pela porta da frente no futebol de seleção, impulsionado diretamente no banco dos campeões mundiais em título. Já o disse o presidente da federação Noël Le Graët, ele sonha em ver Zinedine Zidane treinador dos Blues. Dois obstáculos estão no caminho no momento. O primeiro: Didier Deschamps tem contrato com a FFF até o Mundial de 2022. O segundo: “ZZ” quer treinar na próxima temporada. Só um mau resultado dos tricolores no euro pode mudar tudo e precipitar a sua nomeação.

Compartilhar
Por
Redação

Nosso site usa cookies, ao continuar navegando você concorda com os cookies.