Subscribe for notification
Categorias: Internacional

Tour de France: Aru e Campenaerts com Qhubeka-Assos, Dlamini escreve história

A equipe sul-africana Qhubeka-Assos apresentou seus oito pilotos para o Tour de France, sem nenhum líder designado, mas na presença de Fabio Aru e Victor Campenaerts em particular.

Sétimo Tour de France para a equipe sul-africana Qhubeka-Assos, anteriormente chamada de MTN-Qhubeka, Dimension Data ou mesmo NTT. A equipe comandada por Douglas Ryder revelou nesta sexta-feira a composição de sua equipe pelo Grande Boucle, que partirá no dia 26 de junho de Brest. Nenhum líder foi nomeado, mas ainda encontramos um ex-vencedor do Grand Tour (a Vuelta 2015), Fabio Aru. A antiga grande esperança do ciclismo italiano será 31 no próximo mês e não conquistou uma única vitória desde uma etapa do Tour de France 2017. Victor Campenaerts, bicampeão europeu de contra-relógio, fará seu primeiro Tour de France, assim como o sul-africano Nic Dlamini e o americano Sean Bennett.

Destacam-se também as presenças do australiano Simon Clarke, do colombiano Sergio Henao, do austríaco Michael Gogl e do alemão Max Walscheid. A seleção de Nic Dlamini (25) é histórica, já que ele será o primeiro sul-africano negro a disputar o Tour de France. Ele já participou de duas Vuelta no passado.

Já são sete vitórias de etapas no Tour pela equipe

“Este ano é um ano incrivelmente especial para nós – por tantos motivos – e agora, no Tour de France, teremos mais uma vez a oportunidade de apresentar nossa equipe única ao mundo. A seleção para o Tour de France é sempre muito difícil, e o que vimos novamente este ano é que os pilotos da nossa equipe tentaram fazer a seleção. Nossa lista final é aquela que eu sei que deixará nossa equipe, parceiros e apoiadores orgulhosos do verdadeiro espírito do Ubuntu. Montar em sua primeira turnê é um momento tão especial e eu não poderia estar mais feliz por Nic, Sean e Victor. Temos muita experiência com o Fabio, o Michael, o Simon e o Sergio enquanto o Max – com o Victor – brilhou no Giro e vai procurar manter essa confiança nesta corrida. Para Nic, que momento! A história dele é incrível e o fato de ele ter conquistado essa oportunidade mostra que os sonhos realmente se tornam realidade, e o fato de a equipe ter proporcionado essa oportunidade me deixa muito orgulhoso.

», Regozijou-se Duglas Ryder. Sua equipe tentará manter o bom momento, pois em apenas seis partidas no Grande Boucle, ela já venceu sete etapas (incluindo quatro com Mark Cavendish em 2016) e vestiu a camisa amarela, a camisa verde e a camisa de bolinhas .

A equipe Qhubeka-Assos: Fabio Aru (ITA), Sean Bennett (EUA), Victor Campenaerts (BEL), Simon Clarke (AUS), Nic Dlamini (AFS), Sergio Henao (COL), Michael Gogl (AUT), Max Walscheid (ALL),

Compartilhar
Por
Redação

Nosso site usa cookies, ao continuar navegando você concorda com os cookies.