Subscribe for notification
Categorias: Internacional

Quinto título mundial para Agbegnenou!

Clarisse Agbegnenou (-63kg) dominou Andreja Leski na final para ganhar seu quinto título mundial. Por sua vez, eliminado desde o início, Alpha Djalo (-81kg) não permite que a França tenha uma cota olímpica em sua categoria.

Clarisse Agbegnenou fez isso! Nesta quarta-feira, no campeonato mundial de judô, disputado ao lado de Budapeste, na Hungria, a francesa conseguiu somar um quinto título de campeã mundial à sua imensa lista de conquistas no final da final da categoria até 63kg. Depois de 2014, 2017, 2018 e 2019, o natural de Rennes partiu para esta medalha de ouro, a quarta consecutiva depois de uma luta intensa contra o esloveno Andreja Leski, medalhista de bronze nos últimos campeonatos da Europa. Se este foi rapidamente penalizado, foi a um minuto do fim do tempo regulamentar que Clarisse Agbegenou fez a diferença. Conseguindo derrubar seu oponente por um waza-ari, os Habs então continuaram com uma imobilização. No entanto, Andreja Leski conseguiu se libertar in extremis aos olhos do árbitro… Isso não atrapalhou o esforço da francesa, que voltou a obter estes dez segundos de imobilização oferecendo-lhe a medalha de ouro, o tão esperado quinto título mundial.

UM DIA PERFEITO PARA AGBEGNENOU

Clarisse Agbegenou assim se aproxima do recorde de sete títulos do japonês Ryoko Tamura-Tani. Nas semifinais, a que almeja ir a Tóquio pelo único título que falta, venceu a holandesa Sanne Vermeer, número sete do mundo e que conquistou a medalha de bronze no último Europeu, por ippon no estrangulamento. A que também é pentacampeã europeia venceu as três primeiras lutas do dia, cada vez graças a um ippon antes do fim do tempo regulamentar.

A medalha de prata está, portanto, assegurada para os franceses, mas estes são necessariamente melhores. Um percurso perfeito, com quatro vitórias sobre o ippon, abriu para Clarisse Agbegnenou as portas de uma sétima final do campeonato mundial, com uma felicidade imensa veio ao final desta luta contra Andreja Leski, que finalmente lança o Mundial de uma equipe da França não muito bem sucedida desde as primeiras lutas em Budapeste.

DJALO NÃO RECEBEU O PESO

Um pequeno passeio e depois vá. Na manhã desta quarta-feira, por ocasião de uma nova jornada do campeonato mundial de judô, que acontece perto de Budapeste, na Hungria, o francês Alpha Djalo fez sua entrada na corrida, na categoria até 81kg. E o mínimo que podemos dizer é que os Habs não duraram muito. De fato, o judoca, machucado nas costelas, foi retirado de entrada, desde sua primeira luta. No entanto, contra o coreano Lee Moon-Jin, Djalo começou seu duelo perfeitamente bem, com uma entrada waza-ari. Porém, seu oponente não havia dito sua última palavra e ele então rebateu, então registrando, por sua vez, um waza-ari, antes de prosseguir com um ippon por imobilização. Uma eliminação com graves consequências, já que nesta famosa categoria, a França não terá cota para os próximos Jogos Olímpicos de Verão de 2020 em Tóquio, no Japão, agendados entre sexta-feira, 23 de julho, e domingo, 8 de agosto. Para obter sua qualificação olímpica nesta categoria, Alpha Djalo deveria ter chegado à final. Em última análise, portanto, não será.

Compartilhar
Por
Redação

Nosso site usa cookies, ao continuar navegando você concorda com os cookies.