A primeira série das quartas de final de BMX das Olimpíadas de Tóquio trouxe um sorriso ao clã francês. Os dois ciclistas tricolores comprometidos, Sylvain André e Romain Mahieu, brilharam em particular. Rapidamente assumindo a liderança para não soltar, os dois homens conseguiram uma bela dobradinha. Pouco depois, na 3ª série, Joris Daudet também cruzou a linha de chegada na liderança. A França terá, portanto, três ciclistas nas semifinais de BMX nesta sexta-feira..

Joris Daudet, bicampeão mundial, gostaria de repelir o destino em Tóquio. Uma maldição olímpica parece assombrá-lo, aquele que era o favorito nas duas Olimpíadas anteriores. Em Londres, em 2012, ele caiu nas semifinais. Rebelote no Rio 2016 na fase das quartas de final. A má sorte, no entanto, parece tê-lo deixado porque lesionado no Mundial 2019, ele sofreu de graves complicações na clavícula e no pulso no ano passado. O que o teria privado dos Jogos sem o adiamento causado pela pandemia de Covid-19.