Subscribe for notification
Categorias: Internacional

Hymn of the Blues, é ridículo

A polêmica em torno da canção de Youssoupha ganhou proporções que não fortalecem a imagem da classe política. Pelo contrário.

Talvez seja hora de assobiar o fim do recesso. OTime de futebol francês prepare o Campeonato Europeu 2020 (com uma primeira partida em 15 de junho contra a Alemanha) e um de seus apoiadores é alvo de debates desnecessários.

Um partido classificado de extrema direita protestou primeiro contra Youssoupha e sua canção Escreva meu nome em azul sob o pretexto de que o artista havia arranhado o presidente do dito partido 15 anos antes em outra composição. Essa controvérsia existia porque recebia crédito.

O chefe da FFF, Noël Le Graët, respondeu

, alimentando assim este debate sem grande interesse, ao indicar que a peça do rapper francês não era oficialmente um hino do Blues e que a comunicação talvez fosse desajeitada. Em suma, ele se dissociou disso.

Parlamentares de direita (LR) recentemente enviaram uma carta a Le Graët pedindo-lhe para substituir a canção de Youssoupha. Esses funcionários eleitos propuseram em vez disso Vamos filhos da pátria

de Kaotik 747. É realmente hora de apitar o fim do jogo.

Leia também:Benzema, o foco de GriezmannThe Blues são fixados em seus bônus

Compartilhar
Por
Redação

Nosso site usa cookies, ao continuar navegando você concorda com os cookies.