Subscribe for notification
Categorias: Internacional

Alaphilippe ataca na entrada do Tour!

Julian Alaphilippe (Deceuninck Quick Step) venceu a solo a primeira etapa do Tour de France, entre Brest e Landerneau, e por isso assume a camisola amarela. Esta etapa foi marcada por duas grandes quedas coletivas.

Julian Alaphilippe vai trocar sua magnífica camisa arco-íris por uma camisa amarela igualmente magnífica! Pela primeira vez em vinte anos (Christophe Moreau vencedor do prólogo de Dunquerque), é realmente um francês que venceu a primeira etapa do Tour de France e que, portanto, veste a primeira camisa amarela desta edição de 2021. Sábado, como Mathieu van der Poel ou Wout Van Aert, o campeão mundial respondeu perfeitamente.

Apesar de um joelho direito sangrando após uma queda durante a etapa, Alaphilippe atacou 2,3 ​​quilômetros da chegada, na Côte de la Fosse aux Loups, e ninguém conseguiu segurá-lo. Havia, no entanto, boas pessoas atrás dele, já que Primoz Roglic, Tadej Pogacar, Enric Mas, Rigoberto Uran, Nairo Quintana ou mesmo Vincenzo Nibali chegaram oito segundos depois do vencedor, mas nenhum conseguiu tirar vantagem do seu ataque que parecia cedo. Doze dias após o nascimento do seu bebé Nino, o líder do Deceuninck Quick Step oferece-se, aos 29 anos, a sua sexta vitória de etapa em seis participações, e terá direito ao domingo a um décimo quinto dia na cor amarela.

Froome e Hirschi já no chão

Mas esta primeira etapa também foi marcada por duas enormes quedas coletivas que mancharam um pouco o magnífico ambiente em torno da vitória do piloto francês. A 45 quilômetros da chegada, no topo da Côte de Saint-Rivoal, um espectador estendeu uma placa de papelão para que pudesse ser vista na televisão, mas ela não viu Tony Martin subir em sua placa. O cavaleiro alemão, que estava à frente do pelotão, causou a queda de dezenas de outros cavaleiros atrás dele (incluindo Alaphilippe).

A alemã Jasha Sutterlin (DSM) não conseguiu recomeçar. Um grupo composto em particular por Alaphilippe e Van Aert ficou para trás, mas conseguiu voltar ao pelotão principal. E a 7,5 quilômetros de Landerneau, quando o pelotão foi agrupado, uma grande queda ocorreu novamente, com quase uma centena de pilotos no solo ou em câmera lenta. É particularmente o caso de Chris Froome ou Marc Hirschi, que teve grande dificuldade em recomeçar e que terminou respetivamente aos 14 e 16 minutos.

Schelling brilhou na frente

De resto, esta etapa foi marcada pelo afastamento de seis cavaleiros, que partiram aos 16 quilómetros: Franck Bonnamour (B&B Hotels p / b KTM), Cristian Rodriguez (Team TotalEnergies), Danny van Poppel (Intermarché-Wanty), Anthony Perez (Cofidis) e Ide Schelling (Bora-Hansgrohe), depois Connor Swift (Arkea-Samsic) que se juntou a eles alguns quilômetros depois. Eles lutaram em particular durante as primeiras cinco escaladas do dia, e foi Schelling quem ficou mais tempo na frente, antes de ser pego a 38 quilômetros do final. Domingo estará no menu uma etapa do mesmo género, entre Perros-Guirec e Mûr-de-Bretagne Guerlédan, com seis costelas no menu, incluindo a da chegada final, com dois quilómetros a 6,9% da média. Para o mesmo cenário do sábado?

TOUR MUNDIAL / TOUR DE FRANCE 2021

Classificação da 1ª etapa (Brest – Landerneau, 197,8km) – sábado, 26 de junho de 2021
1- Julian Alaphilippe (FRA / Deceuninck Quick Step) às 4h39’05

2- Michael Matthews (AUS / BikeExchange) com 8 ″
3- Primoz Roglic (SLO / Jumbo Visma) a 8 ″

Classificação geral (após 1 fase de 21)

1- Julian Alaphilippe (FRA / Deceuninck Quick Step) e 4h39’05
2- Michael Matthews (AUS / BikeExchange) com 8 ″
3- Primoz Roglic (SLO / Jumbo Visma) a 8 ″

Compartilhar
Por
Redação

Nosso site usa cookies, ao continuar navegando você concorda com os cookies.