publicidade
Subscribe for notification
Categorias: FlamengoFutebol

“O Flamengo não tem dedo do técnico. Quando tem, é o dedo podre”, diz jornalista

Em um jogo morno, o Flamengo ficou no 0 a 0 com o Vélez Sarsfield nesta quinta-feira (27), pela última rodada da fase de grupos da Libertadores. O resultado confirmou o Fla como líder do seu grupo no torneio continental, mas o futebol de pouca inspiração mais uma vez rendeu críticas ao técnico Rogério Ceni.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte – com os jornalistas Vinícius Mesquita, Renato Maurício Prado, Alicia Klein e José Trajano – o trabalho do técnico do Flamengo foi analisado, e os colunistas apontaram os problemas que Ceni precisa resolver.

PUBLICIDADE

“O que a gente sente é que o Flamengo não tem dedo do técnico. Quando tem, é o dedo podre. Na defesa, por exemplo, que demora até os 35 do segundo tempo para fazer uma modificação. Apesar do time que tem, do elenco poderoso, esse Flamengo está difícil de acreditar que o Rogerio vai continuar ganhando título com ele”, criticou Renato.

+ Milton Neves ironiza atuação do Flamengo

Alicia também destacou as falhas na defesa rubro-negra e fez uma sugestão ao treinador.

“Não consigo entender bem qual é o estilo dele. Está claro que o time tem problema no setor defensivo. O Rogério poderia aprender algumas coisas sobre defesa com o Hernán Crespo”, disse a colunista, exaltando a evolução da defesa do São Paulo após a chegada do técnico argentino.

Para Renato, a atuação pouco inspirada diante do Vélez mostra que o Flamengo enfrentou dificuldades até no seu ponto mais forte: o ataque.

“O Rogério tem que fazer esse time jogar melhor. Ele não consegue. Todo mundo pedia Pedro e Gabigol. Não tem uma jogada, um esquema que possibilite a eles jogarem juntos. Do meio para frente, os jogadores que se virem”, apontou.

+ Globo divulga estados que receberão sinal de Flamengo x Palmeiras

Na visão de Trajano, Ceni também parece não ter um controle tão forte sobre o elenco.

“O jogou mostrou um ‘não me toque’, ‘não posso ser substituído’. Acho que o Rogério deu a sensação de que não tem muita moral para tirar. Não queria ser técnico do Flamengo nesse momento”, comentou.

+ Braz almoça com atacante do Chelsea e busca contratação para o Flamengo

Renato considera que o Flamengo regrediu se comparado à época na qual era comandado por Jorge Jesus:

“Não é mais um time coletivo. Ceni não vê o jogo. Fica em transe. O setor direito era um desastre desde o primeiro tempo. Isla e Everton Ribeiro não jogavam nada. E Rogério não trocou o isla e trocou o Everton aos 44. Ele não está fazendo o trabalho direito. Não consegue acertar a defesa. O meio-campo e o ataque dependem de boas atuações individuais”, completou.

PUBLICIDADE

publicidade

Publicações recentes

Lugar nas últimas quatro para as senhoras

tênisabrir da Austrália Escrevendo 26/01/2022 12h45 Descubra o programa para quinta-feira no Aberto da Austrália,…

3 horas atrás

Um novo começo à vista na OM?

O Olympique de Marseille pode registrar um início inesperado na reta final da janela de…

9 horas atrás

Prix ​​​​Henri Estable, Dream Along no hipódromo de Cagnes sur Mer

APRESENTAÇÃO DO PRÊMIO HENRI ESTÁVEL Nisso quarta-feira, 26 de janeiro de 2022, a Tiercé Quarter…

12 horas atrás

Endrick aplica lambreta e santistas partem pra cima da joia do Palmeiras

PUBLICIDADE O Endrick tentou uma lambreta, mas sem sucesso. O zagueiro Derick, envolvido no lance,…

15 horas atrás

Imparável Grenoble e Chamonix

Enfrentando Bordeaux (2-1) e Anglet (3-1), respectivamente, Grenoble e Chamonix assinaram a sexta vitória consecutiva…

15 horas atrás
publicidade

Endrick se emociona após título da Copinha, e comenta decisão de Abel Ferreira

PUBLICIDADE Endrick se emociona ao lembrar de irmão, em entrevista após o jogo. Palmeiras venceu…

21 horas atrás

Nosso site usa cookies, ao continuar navegando você concorda com os cookies.